Cristão não pode falar de Política?

Cristão não pode falar de política?

Em todo ano político a história é a mesma, mas neste, a situação parece ainda mais preocupante.

É que, ao longo dos anos, especialmente no Brasil, o posicionamento das instituições religiosas foi o de se afastar de falar em Política.

Atualmente, numa tentativa de várias lideranças de retomar a discussão sobre o tema, percebe-se alvoroço.

Há líderes muito sensatos falando no assunto, outros nem tanto, mas o que mais vemos são frases sem sentido de muitos evangélicos.

Pensando existir incompatibilidade entre mundo físico e espiritual, muitos cristãos acreditam que é impossível acreditar em Jesus falando de Política.

Ou ainda, creem que quem fala de Jesus não pode opinar em assuntos políticos, o que é muito confuso, para dizer o mínimo.

Quem crê em Jesus quer fazer parte de seu Reino vindouro, que não é aqui. Mas também possuis obrigações de cidadão do mundo.

Para exemplificar, uma frase que está muito batida entre evangélicos (e também católicos) é: “Se as pessoas falassem de Jesus como falam de políticos, o mundo estaria melhor e evangelizado”.

Esta é uma afirmação que nos permite fazer várias análises, dentre elas:

– Seria possível ter Jesus como candidato?

– Falar de Jesus é suficiente para conversão de todos os homens?

– Uma coisa exclui a outra? Quem fala de político é porque deixou de falar de Jesus, e quem fala de Jesus está isento de ações políticas?

Bom, as pessoas vinculadas às instituições religiosas, sejam quais forem, deveriam pensar melhor em como somos afetados pelos desgovernos humanos.

Confiamos em Deus? Claro que sim! Mas isso não nos isenta de nossa responsabilidade, de sermos uma Igreja ativa.

Uma Igreja que se preocupa constantemente, também, com as questões sociais, pois está inserida na sociedade (não há como desvincular).

E uma igreja que procurar ajudar, também, espiritualmente, todos que estão cansados, afetados pela falta de segurança, saúde, educação, emprego, etc.

No mundo teremos aflições, disse Jesus, e confiamos que, assim como Ele, iremos vencer, e também cremos que na promessa de que Ele está ao nosso lado.

Crer que as coisas não vão melhorar não pode fazer com que deixemos de lutar por melhorias.

Lutar por melhorias não pode nos tirar a esperança de entrar no Reino de Deus, vindouro, de Justiça e Paz.

O que achou do artigo?